Tem se sentido só? Esse post é para você!

Se sentir sozinho tem se tornado muito mais comuns nos dias de hoje. Talvez a famosa correria do dia a dia, que tem se tornado cada vez mais normal, tem propiciado esse tipo de sentimento.

Parece que se estamos parados, se não temos várias coisas para fazer, não somos normais. Por isso, nos enfiamos em vários projetos, fazemos várias coisas ao mesmo tempo e… Na hora de arrumar um tempo para sair com um amigo, não temos disponibilidade. Na hora de dar uma volta com uma amiga, não podemos, pois temos que colocar o trabalho em dia, arrumar a casa, ou ir na academia.

Então, quando finalmente nosso corpo pede uma pausa e você quer conversar com alguém, compartilhar suas aflições, ou simplesmente sair para tomar alguma coisa ou dançar muito a noite inteira, não tem companhia.

Claro… você está sempre focado em fazer suas outras coisas, sem valorizar uma amizade. E aí, quando precisa dela, ela não está disponível.

E essa situação está tão presente que uma empresa resolveu comprar uma pesquisa para entender o quão profundo estava esse comportamento nas pessoas de diferentes gerações.

A conclusão desse estudo foi bem importante e nos faz pensar sobre muita coisa!

Mas, para entender como eles chegaram nessa conclusão, primeiro vamos entender como o estudo foi feito.

O foco foi nos Estados Unidos, onde eles entrevistaram cerca de 20 mil norte-americanos com mais de 18 anos. As perguntas foram elaboradas por psicólogos da UCLA (Universidade da Califórnia em Los Angeles) e eram todas afirmações em que eles deveriam responder se aquilo acontecia ou não na vida deles.

As afirmações eram algo como “Seus interesses e ideias não são compartilhados por pessoas próximas”, “Há pessoas ao seu redor, mas não com você”, “Relações com os outros não são significativas” e “Não há ninguém em quem você pode se apoiar”.

Depois de somada todas as respostas, eles criaram um índice que poderia avaliar o nível de solidão dessa pessoa. As notas variavam de 20 até 80 pontos, sendo que quanto maior a nota, maior o nível de solidão e os níveis acima de 43 pontos já eram considerados pessoas que se sentiam solitárias.

E adivinha qual foi a média de todos os 20 mil entrevistados? A média foi de 44 pontos, ou seja, um ponto acima do nível de solidão. O que significa que a maioria das pessoas tem algum nível de solidão nas suas vidas, elas se sentem só.

Então, se você se sente assim, pode ter certeza que não está sozinho ou sozinha.

Só que nem foi esse o número que mais surpreendeu nessa pesquisa. Pois, além de fazer essa média da população, eles também fizeram uma média dentro de cada geração.

Eles separaram as gerações entre os Millenials, que são pessoas com idade entre 23 e 37 anos; a Geração X que vai dos 38 até 51 anos, os Boomers, que entram na faixa de 52 até 71 anos de idade e os da Greatest Generation, que são as pessoas com 72 anos ou mais.

A surpresa está que, as pessoas com mais de 72 anos, são as que apresentam níveis de solidão mais baixos, então, provavelmente são as pessoas que se sentem mais felizes.

A pontuação de cada geração ficou da seguinte forma:

  • Millenials (23 a 37 anos), de 45,3
  • Geração X (38 a 51 anos), com índice de 45,1
  • Boomers (52 a 71 anos) tiveram índice de 42,4
  • Greatest Generation (72 anos ou mais) apresentaram índice de 38,6

Lembrando que, quanto menor a pontuação, menor é o nível de solidão. Mas, o que será que explica o fato dos Millenials, por exemplo, serem os que se sentem mais solitários? E o que explica as pessoas com mais de 72 anos serem as que se sentem menos solitárias?

As pesquisas ainda não foram tão a fundo nesse assunto, mas tem alguns pontos que podemos destacar, pontos os quais podem ocasionar esse tipo de situação.

Primeiro que as pessoas com 23 até 37 anos de idade, normalmente estão passando pela fase adulta da vida, em que as responsabilidades aumentam, começam a ter filhos, casa, marido ou mulher. É também uma idade em que a crise dos 40 anos está perto, que é a famosa crise da meia idade.

Então, esse excesso de afazeres, de responsabilidades, pode fazer com que eles se sintam mais infelizes e, na hora de buscar por ajuda, como estão tão envolvidos nas outras questões, acabam sentindo que não tem para quem recorrer.

Já no caso dos Greatest Generation, que é uma geração que já viveu a sua vida e que tem toda a sabedoria de 72 anos vividos, provavelmente já aprenderam melhor a lidar com todas essas situações. Não quer dizer que eles não tenham seus problemas, mas que já atingiram a maturidade o suficiente para saber lidar melhor com todos eles e não se sentirem sozinhos.

Mas, num modo geral, a pesquisa apontou que os níveis de solidão baixos, não importando qual é a geração, estão diretamente ligados a qualidade das noites de sono de todas as pessoas, da prática de exercícios físicos regularmente, de não se sentirem sobrecarregados com os seus afazeres e também terem tempo de qualidade com a sua família e amigos.

Todos esse pontos contribuem para que você não se sinta tão só na sua vida! Por isso, busque ter esses momentos na sua vida, dê preferência para isso.

Afinal de contas, o sentimento de solidão pode ocasionar muitos problemas graves, como baixar a sua imunidade e você ficar propício a pegar uma doença, dificuldades para dormir, ficar mais estressado.

Então, caso esteja se identificando com toda essa situação, busque formas de sair dessa, principalmente no coletivo. Pois, sem dúvida, existem pessoas perto de você que se sentem na mesma situação e não sabem como lidar com isso.

Viver no coletivo e ter com quem contar para dividir suas alegrias e tristezas, para te ajudar a comemorar os momentos bons, mas também te dar o ombro amigo nos momentos ruins, é o melhor presente que alguém pode ter na vida.

Quem sabe, inclusive, essa pessoa está do seu lado, mas você não consegue ver.

Sendo assim, comece a olhar mais para você e também para os lados!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *